O limite interno de velocidade – Lúcida Letra

O limite interno de velocidade

Dia a dia, a cada momento, recebemos muita informação. São muitas as exigências colocadas sob nossa atenção. Nossa vida de certa forma virou uma espécie de programa de notícias moderno que tem telas divididas mostrando o apresentador numa janela, alguém sendo entrevistado noutra, informações sobre o mercado acionário noutra, talvez mais uma notícia passando em outra e, embaixo, uma tarja com a notícia mais recente.

Enquanto tentamos absorver todas essas informações, nossa mente, nosso corpo sutil e nosso corpo físico ficam um tanto desequilibrados. Sentimos que, se não estamos olhando todas essas coisas ao mesmo tempo, estamos perdendo algo, por isso nos pressionamos. Operamos em modo multitarefa. Corremos, corremos, corremos para terminar o que quer em que estejamos envolvidos no momento para podermos pegar o próximo projeto do dia, e o próximo e o próximo. E toda essa correria exaure uma dose de nossa energia mental, emocional e física – o que tende a nos deixar menos produtivos, mais voláteis em termos emocionais e mais atrapalhados em nosso pensamento.

[...]

Ao buscar nosso limite interno de velocidade, em vez de nos concentrarmos no grau de esforço que costumamos despender para realizar determinadas tarefas ou no número de tarefas que realizamos, uma abordagem mais produtiva seria considerar a forma como desempenhamos tais tarefas. Consideramos as oportunidades e os desafios diante de nós com gentileza e cordialidade ou apenas seguimos em frente de maneira brusca e impessoal? Quando entramos no carro e encaramos outro motorista no cruzamento, deixamos que passe primeiro com um leve aceno de mão ou sondamos se ele vai nos deixar passar primeiro levantando um polegar? Essas pequenas gentilezas podem influenciar o modo como lidamos conosco e com os outros, aprendendo a balancear o foco em nossa vida ocupada e multitarefa, desenvolvida ao longo de anos, para acomodar, ainda que em pequenas coisas, as necessidades dos outros, que também estão tentando realizar muitas coisas ao mesmo tempo.

 

Trecho do livro "Coração aberto, mente aberta" (clique aqui para comprar)

 

0 comentários

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Anterior

·

Assim vou meditar

Próximo

·

Qual é o seu plano de fuga?